Minas Gerais – O desenvolvimento das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) tem proporcionado mudanças rápidas na sociedade. É preciso ter atenção para não ficar desatualizado ou desconectado. Isso não é apenas nas grandes cidades, mas também nas pequenas e, claro, no campo. Aos poucos a chamada Agricultura 4.0 ou digital tem ocupado espaço na agropecuária. Com isso, a expectativa é que técnicos e produtores estejam melhor preparados para uma produção sustentável e um mercado exigente.

Inovações sempre geram desafios, mas também oportunidades. Com isso é preciso se adequar às mudanças o mais rápido, visando resultados positivos. Esse é o momento que está vivendo o serviço de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater), com a entrada em cena da Agricultura 4.0. 

Para o presidente da Associação Brasileira das Entidades de Assistência Técnica e Extensão Rural (Asbraer), Nivaldo Moreno de Magalhães, a Agricultura 4.0 modifica e automatiza muitas etapas do ciclo produtivo do agronegócio, trazendo maior produtividade, redução de custos e agilidade nos serviços de Ater.  Ele acredita que é fundamental que as empresas de Ater estejam preparadas para que possam aproveitar todos os benefícios.

COMENTE NO FACEBOOK