Em visita a cidade de Canápolis, outro vereador que esteve com nossa equipe de jornalismo, foi Gilmar Natal de Melo (Gilmar do Sindicato) e ele falou de muitos assuntos, com ênfase para o inicio dos trabalhos na Usina Canápolis e contribuição sindical. Veja como foi:

Gazeta – Como está Canápolis hoje?

Gilmar – Não está sendo fácil, afinal o município está em decadência. Na verdade, depois do fechamento da Usina Trialcool, a cidade de Canápolis parou. O prefeito alega que não tem dinheiro para nada e não fez o Carnaval e nem teremos agora nossa Festa de Pecuária. Com isso a população não perdoa, eles cobram de todos os seus representantes e querem resultados. A saúde aqui esta um caos, não temos nenhum médico especialista atendendo gratuitamente nossa gente, portanto ser vereador hoje em nossa cidade não está sendo fácil.

Gazeta – Como você está vendo a reativação da Usina?

Gilmar – Isso foi ótimo e eu tenho a honra de afirmar que tudo isso é mérito primeiramente meu. Fui eu que iniciei os primeiros contatos, não foi deputado e nem prefeito, fui eu que com a ajuda do ex-deputado e ex-Ministro Anderson Adalto, comecei os primeiros contatos que findou com a venda da Trialcool e agora com a chegada da Usina Canápolis, que com certeza vai proporcionar muitos empregos, impostos e tempos melhores para toda nossa população.

Gazeta – Mesmo em tempos difíceis como o de agora é importante que o trabalhador seja sindicalizado?

Gilmar – Eu falo que o trabalhador nem imagina o quanto isso é importante. No nosso Brasil o trabalhador já é pouco valorizado, se não for sindicalizado, aí é que não tem valor nenhum mesmo. Então mais do que nunca é preciso trabalhar essa informação, para que esse trabalhador brasileiro conheça de fato a força que o sindicato proporciona a ele. Essa é a única maneira de equilibrar um pouco a balança entre o patrão e empregado.

COMENTE NO FACEBOOK

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here