A educadora em saúde do município de Capinópolis, Marilaine Vilela, falou da luta que é convencer algumas pessoas, que ainda não se preocupam com a dengue e deixam nos quintais recipientes que podem acumular água e tornar-se criadouros do mosquito Aedes aegyti.

 “O trabalho não pode parar e realmente quando vem o período de chuvas, aumenta ainda mais, porém no final do ano passado, fizemos aquela premiação nas escolas, através do projeto Saúde na Escola, onde os alunos participaram com desenhos, e passeatas, tudo com o intuito de chamar a atenção da população para o combate ao vetor, que é o Aedes aegypti”.

Gazeta É importante esse trabalho com as crianças?  

Marilaine – É gratificante. As crianças são os nossos multiplicadores, porque o que elas aprendem na escola, chegam em casa e falam para toda a família.

Gazeta – Nesse início de janeiro já teve notificação?

Marilaine – Sim, inclusive é uma gestante com 29 semanas, o que sem dúvida nos preocupa ainda mais.

Gazeta – Muita gente ainda não colabora?

Marilaine – É lamentável, porque a população tem a informação, tanto pessoalmente quanto no rádio, no jornal, nas demais mídias e mesmo assim, ainda tem pessoas que não se conscientizam.

Gazeta – E em 2020, o que teremos para conter a dengue?

Marilaine – Será uma guerra, deixo o meu apelo a todos. Pessoal, vamos ter consciência e entrar nessa guerra contra o Aedes aegypti. Nós podemos sim vencê-lo, mas precisa que todos participem.

COMENTE NO FACEBOOK