No mês marcado pelo Dia Nacional de Combate ao Fumo, lembrado em 29 de agosto, oncologista do Centro Oncológico do Triângulo – COT – faz um alerta sobre o tabagismo, que está relacionado a 90% dos casos da doença

 

 

Mais de 31 mil diagnósticos somente em 2018: essa é a estimativa de surgimento de novos casos de câncer de pulmão no Brasil, de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA). O tabagismo é apontado como a principal causa de morte pela doença, estando relacionado a 90% dos diagnósticos. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, o cigarro mata 6 milhões de pessoas por ano e também é responsável pela morte de 600 mil fumantes passivos. Neste mês, marcado pelo Dia Nacional de Combate ao Fumo, lembrado em 29 de agosto, a oncologista do Centro Oncológico do Triângulo – COT, Nathália Almeida, faz um alerta sobre este vício que é considerado a principal causa de morte evitável.

Além do câncer de pulmão, o cigarro também está relacionado ao desenvolvimento de outros tumores como: cavidade oral, laringe, faringe, esôfago, estômago, pâncreas, fígado, rim, bexiga, colo do útero e leucemias, além de mais 50 doenças. Para o oncologista do Centro Oncológico do Triângulo – COT, Nathália Almeida, é necessário que haja uma conscientização da população sobre os riscos e a importância de abandonar o vício. “Sabemos que os fumantes têm aproximadamente de 20 a 30 vezes mais risco de desenvolver câncer de pulmão e que o hábito de fumar é responsável por cerca de 30% das mortes por câncer. A mudança desta realidade passa primeiro pela conscientização e percepção da população de que o tabagismo não traz nenhum benefício e que muitas mortes poderiam ser evitadas com o abandono do vício”, destaca a especialista.”

COMENTE NO FACEBOOK

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here