Ituiutaba – Em menos de vinte quatro horas, após emitir comunicado à população de Ituiutaba e região, anunciando a suspensão parcial dos atendimentos médicos, o Hospital São José voltou a praticar as atividades habituais de rotina. O próprio Prefeito Fued Dib, se encarregou de dar a notícia, durante coletiva na manhã da última quarta-feira (08), com a imprensa local.

O Prefeito Fued, considerou injusto e precipitado, o posicionamento tomado na última terça-feira pelo HSJ. Esclareceu que a Administração Municipal tem mantido rigorosamente em dia, o compromisso de repassar os valores pactuados com o hospital.  O prefeito apresentou números atualizados dos repasses financeiros destinados até o momento, que já totalizam cerca de R$ 3 milhões, quando somados os repasses feitos em 2017 e até agosto de 2018. “Os problemas enfrentados pelo Hospital São José não se resumem às questões de ordem orçamentária. Se assim o fosse, conseguiríamos solucionar apenas com repasses de verbas”, disse Fued.

O prefeito informou também durante a coletiva de imprensa, que a saída encontrada para acabar de imediato com a paralisação do atendimento no Hospital São José, foi a adoção de uma suplementação de recursos na ordem de R$ 300.000,00 divididos em parcelas mensais de R$ 100.000,00 nos próximos três meses. Estes valores serão acrescidos aos dois convênios já existentes que somam R$ 1.472.000,00, dos quais já foram repassados até esta data, R$ 857.500,00. Esta suplementação de R$ 300.000,00 foi pactuada entre a Prefeitura e Câmara Municipal, que farão o contingenciamento em seus respectivos orçamentos, com o objetivo de honrar o compromisso assumido e garantir o atendimento à população de Ituiutaba e região.

“Estamos aguardando uma reunião com um especialista em gestão pública hospitalar. Devemos nos orientar pelo exemplo do que aconteceu no Hospital Hélio Angotti, em Uberaba, que estava à beira do abismo e colapso financeiro, mas conseguiu superar seus problemas e voltar a trabalhar dentro do quadro normal de atendimento. Contudo, a solução definitiva que sempre defendemos, seria que tivéssemos este funcionamento médico público, em um hospital regional”, concluiu.

COMENTE NO FACEBOOK

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here