Uso de tablets agiliza e dá mais transparência ao trabalho dos fiscais agropecuários

 O Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) deu início nesse mês à certificação das Granjas Reprodutoras de Suídeos Certificados (GRSCs) utilizando tecnologia em dispositivo móvel desenvolvida pelo próprio Instituto. Até então o trabalho de campo para essa certificação era feito em formulários impressos.

Minas Gerais possui o quarto maior rebanho nacional de suínos, com cerca de 5,1 milhões de animais e o terceiro maior rebanho de matrizes fêmeas em reprodução, com 308.854 animais. Nesse contexto, as GRSCs assumem uma função importante pois são certificadas como livres de peste suína clássica, doença de aujeszk, brucelose, tuberculose, sarna e livre ou controlada para leptospira. Essa condição as coloca no topo da pirâmide sanitária e genética da suinocultura brasileira como fornecedoras de matrizes, reprodutores e material genético de alta qualidade para o mercado. Minas possui 29 dessas granjas que abrigam cerca de 39 mil reprodutores de suídeos certificados.

O uso da nova tecnologia trará transparência e agilidade ao processo de supervisão para a certificação das 29 GRSCs. De acordo com Bruno Rocha de Melo, assessor da Diretoria Técnica do IMA, o uso do dispositivo móvel padroniza as atividades, facilitando o trabalho dos fiscais no campo. A partir de agora eles utilizarão tablets com os critérios de sanidade animal a serem avaliados como pré-requisito para a certificação. Ele explica que para cada atividade realizada em campo são disponibilizadas listas de verificações em substituição aos documentos físicos.

COMENTE NO FACEBOOK

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here