Ituiutaba – Nos dias atuais, com as muitas alternativas e os relacionamentos cada vez mais liberais, sem uma devida oficialização da união, somos levados a acreditar que o número de casamentos realizados pelo Brasil está diminuindo nos últimos anos. Contudo, segundo dados fornecidos pelos cartórios, essa primeira impressão não condiz com a realidade.

E foi para saber mais sobre esse tema que estivemos com Humberto Campos Vilela do cartório de registro civil de Ituiutaba.

Gazeta – O fato de muitos casais estarem optando pelo Contrato de União Estável ou simplesmente indo morar juntos, tem refletido em queda no número de casamentos realizados?

Humberto – Não. Segundo dados precisos, apurados pelos cartórios, nos últimos 10 anos, o número de casamentos tem se mantido estável, tanto a nível de Brasil, como aqui em Ituiutaba.

Gazeta – A economia é o principal motivo por casais optarem apenas pelo casamento no civil?

Humberto – Geralmente sim, mas também é grande o número de noivos que não são adeptos de nenhuma religião, e por isso se casam apenas no civil, aqui mesmo na sede do cartório. Mas é importante dizer, que pela facilidade de hoje em realizar cerimonias com o efeito civil, também em outros locais, muita gente ainda preferem realizar seus matrimônios nas igrejas, clubes e salão de festas, mas com o efeito civil, já que levam o termo e o assinam durante a cerimônia.

Aproveitando a oportunidade de nosso jornalismo estar falando com o titular do cartório, outra dúvida no que tange ao fato dos pais deixarem para registrar seus filhos dias ou até mesmo meses depois do nascimento, também foi sanada. Segundo Humberto Campos, isso não ocorre mais; “Os pais estão mais conscientes e para os bebês terem direito a planos de saúde ou até um simples atendimento pelo sus, é necessário um documento, então hoje antes mesmo de saírem do hospital, os pais já procuram o cartório e fazem o registro de seus filhos”, concluiu Humberto.

 

COMENTE NO FACEBOOK

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here