No período de férias a galerinha fica toda animada para os mais diversos passeios e o que não pode faltar nessa hora é a atenção dos pais.

– Uso de boias

A necessidade de usar boias vai depender muito de quanto a criança está acostumada a nadar.

– Piscinas com grande profundidade

Não sustente a falsa impressão de que não há problemas quando a criança consegue ficar de pé – há risco de afogamento em qualquer área da piscina, mesmo na parte mais rasa. Mas é verdade também que nadar em piscinas de maior profundidade exige uma atenção ainda maior dos pais.

– Pais e responsáveis precisam entrar na piscina?

Sim, afinal bebês com até dois anos sempre devem estar acompanhados, mesmo que estejam em uma piscina de 10 centímetros de profundidade.

– Brincadeiras na borda da piscina

Em algumas escolas de natação, são feitas brincadeiras para conscientizar as crianças sobre o perigo de brincar na beira da piscina.

– Deixar boias e pranchas espalhadas é mais seguro?

Na verdade, a principal forma de segurança é a atenção constante dos pais ou responsável. Boias podem dar a falsa impressão de que a criança está segura e não precisa de supervisão, o que não é verdade.

– Cloro da piscina

Apesar de a natação e as atividades aquáticas serem recomendadas para o desenvolvimento da criança, a água da piscina precisa ser adequadamente higienizada para preservar a saúde dela.

– Brincadeiras com baldes e bacias

Parece que não há perigo algum deixar a criança pequena brincando com um balde de água, mas muitos afogamentos acontecem nessas situações, principalmente durante aqueles poucos segundos que os pais se distraem.

Fonte: msn.com

COMENTE NO FACEBOOK

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here