Santa Vitória – Desde janeiro de 2017, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social de Santa Vitória, através da titular da pasta Mariza Curi, adotou nova forma de enfrentar os problemas sociais que afligem parte da população do município.

Firme nos propósitos estabelecidos pelo prefeito Salim Curi, a secretária não mediu esforços para contornar o momento difícil da economia local, onde empresas foram fechadas e chefes de famílias ficaram desempregados. Na verdade, ela sempre esteve focada em encontrar soluções para beneficiar crianças, adolescentes e famílias em situação de risco social, Sem esquecer é claro, de eventuais beneficiários dos programas sociais do Governo Federal e quem mais precisasse de auxílio.

“A comunidade santa-vitoriense conta conosco e nós vamos dar continuidade ao trabalho de recuperação de autoestima, inclusão social, capacitação, acesso ao mercado de trabalho, além dos benefícios eventuais já aplicados, para que os munícipes passem a viver com mais dignidade a partir desses avanços na área de Promoção Social”, comenta Mariza.

De acordo com o relatório de gestão, os programas de transferência de renda (como Bolsa Família e Benefício de Prestação Continuada) do Governo Federal diminuem os custos do Governo de Santa Vitória na área da assistência social. Fora isso, a oferta de oficinas em parceria com o Senar e o Sindicato Rural, garantiram mais oportunidade para os beneficiários terem sua própria renda, sem depender tanto de ajuda de recursos do município ou do Governo Federal.

A secretaria inovou com a implantação do Programa ACESSUAS Trabalho, que traz ações de articulação de políticas públicas e de mobilização, encaminhamento e acompanhamento de pessoas em situação de vulnerabilidade e/ou risco social para acesso a oportunidades de trabalho e emprego. São 235 pessoas participantes.

Entre janeiro e dezembro de 2017, a Secretaria de Desenvolvimento Social de Santa Vitória fez 3.327 visitas sociais em domicílio; atendeu demandas por passagens de ônibus (186); cobertores (200); cesta básica (2.390); auxílio natalidade (29); leite tipo C (136.613 litros); fraldas geriátricas (36.738 unidades), entre outros benefícios eventuais.

Também manteve e reforçou os Projetos Aprendendo a Crescer e Grupo de Adolescentes, que atende crianças e jovens em situação de vulnerabilidade social, oferecendo atividades educativas, culturais, socialização, fortalecimento de vínculos e, priorizou a regulamentação da Panificadora, elaborando um projeto de lei, a fim de oportunizar este ano o funcionamento de forma correta com trabalho de qualificação profissional. Vale ressaltar que a Panificadora está ativa, com o fornecimento de pães para os órgãos municipais.

Para minimizar a carência de lazer e entretenimento, durante o ano, o Grupo Conviver – que trabalha a promoção de qualidade de vida da terceira idade, promoveu diversas viagens recreativas com os participantes e, os eventos Dia da Mulher, Dia das Mães, Conferência Municipal, Semana do Idoso, Dia das Crianças, Ação e Cidadania, Natal da Família, Forró Noel e Forró da Paz trabalharam os pilares de inclusão social, consolidação de vínculos e também geraram emprego.

 

De acordo com Mariza Curi, o ano de 2018 foi planejado para superar todas as benfeitorias feitas em 2017, sempre com o propósito de proporcionar uma vida melhor para os cidadãos do município.

“Estamos trabalhando pelo povo e para o povo. Diante disso, não mediremos esforços para amparar socialmente a nossa cidade”, pontuou Mariza.

 

 

Foto

Desenvolvimento-Social-(Benefícios-Eventuais)-2017

 

 

 

COMENTE NO FACEBOOK

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here