A comunidade acadêmica da Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg), unidade Frutal, no Triângulo Mineiro, quer a conclusão das obras da extinta Hidroex, a Fundação Centro Educação, Capacitação e Pesquisa Aplicada em Águas, também conhecida como Cidade das Águas. Alunos, professores e funcionários, assim como moradores e lideranças políticas e comunitárias, reivindicam, também, a transferência, para a universidade, da escritura pública da fundação e dos terrenos onde foi instalada.

As demandas foram defendidas durante audiência da Comissão de Administração Pública da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), realizada no último dia 30, no anfiteatro do campus universitário local. Solicitada pelo deputado Raul Belém (PSC), a audiência teve por objetivo discutir o abandono do patrimônio móvel e imóvel da Hidroex, criada em 2009 e extinta em 2016, pela Lei 22.291, após denúncias de irregularidades e desvio de recursos públicos.

A mesma lei destinou à Uemg os bens móveis da instituição extinta, mas, por força legal, os terrenos pertencem à Secretaria de Estado de Fazenda. Além disso, a universidade não consegue usufruir dessa herança de forma plena, já que não há infraestrutura nem instalações em condições de receber equipamentos de laboratórios, mobiliário e itens de informática e implementos agrícolas, por exemplo.

COMENTE NO FACEBOOK