Estamos no período das férias e das viagens com a família. E quem vai para longe, sempre sofre com os longos períodos na mesma posição, seja no carro ou nas apertadas poltronas de um avião. O grande problema é a imobilidade prolongada, que ocorre em diversos meios de transporte, assim como em viagens aéreas, e pode trazer grande risco para a saúde.

O Cirurgião Vascular e Radiologista Intervencionista Dr. Airton Mota Moreira, da Clínica CRIEP (Carnevale Radiologia Intervencionista Ensino e Pesquisa) explica que quando se fica muito tempo em repouso, a circulação pode se tornar mais lenta e levar o sangue a formar coágulos principalmente nas veias das pernas, conhecida como trombose venosa profunda (TVP) ou como “Síndrome do viajante”.

Na maior parte das vezes, o trombo se forma panturrilha, mas pode também instalar-se nas coxas e até nos membros superiores. O sintoma mais comum é inchaço de panturrilha, acompanhado ou não de dor e calor local.

o médico destaca as seguintes medidas que podem ajudar a prevenir:

  • Levantar-se e caminhar no corredor do avião a cada duas horas;
  • Exercitar a perna, principalmente panturrilha (batata da perna);
  • Dar preferência a cadeiras no corredor, onde é mais fácil se movimentar;
  • Evitar tomar medicamentos para dormir, uma vez que podem impedir que você se levante e ande durante a viagem;
  • Passageiros que já possuem alguma predisposição à doença, o ideal é realizar o uso de meias elásticas ou utilizar medicamentos anticoagulantes, mas sempre sob orientação médica.

 

Dr. Airton Mota Moreira – especialista em Angiorradiologia e Radiologia Intervencionista.

COMENTE NO FACEBOOK