No último dia 25/10 (sexta), ocorreu a sétima edição do ‘Mutirão Direito a Ter Pai’, durante o Mutirão foram realizados 24 exames de DNA e 04 reconhecimentos espontâneos de paternidade. Durante o evento, contamos com a presença dos doutores da alegria e dos estagiários do Serviço Social da UFU que realizaram o projeto Sala de Espera e fizeram questionário sócio-econômico com os assistidos que participaram do evento para pensarmos em projetos futuros. Teve a participação de um suposto pai da APAC e um do Presídio. Os exames serão abertos dia 06/12/2019.

Um do reconhecimento espontâneo foi do Sr. Luiz Antônio de Moraes (aposentado) que reconheceu a filha Eunice Cabral Borges, que aos 41 anos passou a se chamar Eunice Cabral Borges de Moraes. Se conhecem desde que ela tinha 2 anos, porém por problemas familiares e falta de condição financeira não havia a registrado, mas com o mutirão não perderam a oportunidade de realizar um desejo da Eunice.

Também já deixamos agendado para o dia 01/11/2019 o comparecimento dos assistidos cujos supostos pais não compareceram, para assim ajuizarmos as ações de investigação de paternidade.

Trabalharam no Mutirão 25 pessoas, entre defensores públicos estagiários, técnicos e ex-estagiários.

Foram nossos parceiros no evento: Secretaria de Desenvolvimento Social, Superintendência de Água e Esgotos, Café Tijucano, Câmara Municipal de Ituiutaba.

            A sétima edição do Mutirão Direito a Ter Pai, foi um sucesso assim como as demais, a Dra. Mônica Alves da Costa (Defensora Pública – MADEP 747), juntamente com os demais participantes estão de parabéns pela organização de um projeto que beneficia muitas famílias de nossa cidade que por motivos diversos não conseguem ter o reconhecimento da paternidade em sua certidão de nascimento.

COMENTE NO FACEBOOK