O livro “A trajetória da cana-de-açúcar no Brasil: perspectivas geográfica, histórica e ambiental”, dos professores Gelze Serrat de Souza Campos Rodrigues (Instituto de Geografia/UFU) e Jurandyr Luciano Sanches Ross (USP), acaba de ser lançado pela Editora da UFU (Edufu) em formato e-book para download gratuito.

Entre 2007 e 2009, enquanto era analista ambiental da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Minas Gerais, Gelze Serrat teve a oportunidade de visitar várias usinas sucroenergéticas para realizar o licenciamento ambiental desses empreendimentos. Por meio dos trabalhos desenvolvidos na época, observou os impactos potenciais e efetivamente causados pelas usinas de cana-de-açúcar, e as medidas tecnológicas que mitigavam vários desses impactos. Esse cenário impulsionou então os estudos nessa área, que em parceria com o professor Jurandyr Ross, acabaram gerando esse livro.

O que explica essa constância da cana-de-açúcar e dos seus derivados nas pautas de produção e de exportação brasileiras? Quais são as condicionantes físicas que explicam a expansão dos canaviais e, consequentemente, das unidades manufatureiras e industriais do açúcar, etanol e agroenergia em certas regiões do território brasileiro? Como esses determinantes, associados a fatores históricos, políticos e econômicos, levaram a arranjos territoriais e a impactos socioambientais diferenciados ao longo desses cinco séculos?

Essas indagações nortearam o desdobramento dos temas tratados neste livro, descortinando um longo processo iniciado no período colonial, que aglutinou enorme quantidade de variáveis de abrangência política, econômica, social e tecnológica, ancoradas nas características físicas, sobretudo hidroclimatológicas, dos solos e do relevo das áreas onde a cana-de-açúcar, os engenhos e as usinas foram implantados.

COMENTE NO FACEBOOK